PRÓLOGO

“Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Elohim adentraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama.”
Gênesis, Bíblia.
Houve um princípio. Onde tudo começou. Tempos onde o homem vagava são pela Terra e ainda não havia sido poluído pela perdição, pelas dúvidas. E lá, não na Terra, mas num lugar semelhante, eles eram todos bons. Até que cinco recusaram-se a seguir as ordens divinas e foram expulsos dos céus. Eram anjos, mas transformaram-se em demônios. Cobiçavam poder maior, pecaram por orgulho. Yekun foi o primeiro. Rebelou-se. Incentivou os outros quatro a irem atrás. Ensinou aos homens a linguagem dos sinais, a ler e a escrever com tinta. Kesabel foi o segundo. Encorajou os anjos a terem relações com humanos. Gadreel, por sua vez, ensinou aos humanos sobre a morte. A como usar uma espada para ferir outro anjo. Foi o terceiro anjo a cair. O quarto chamava-se Penemue e ele ensinou a mentir. Kadyade, quinto e último anjo, ensinou aos mortais sobre os espíritos.
Estes cinco vieram ao nosso mundo e dele fizeram sua morada. Procriaram conforme o que ensinou Yekun e ensinaram aos homens sobre o bem e o mal. Hoje, vivem tranquilamente num reino entre a Terra e os Céus, deixando o nosso mundo como legado aos seus filhos.
Alguns seres humanos foram destinados a terem os caminhos entrelaçados a estes híbridos chamados nefilins. Coincidentemente, a história que se encontra neste livro narra a vida de uma garota qualquer, que entre bilhões de pessoas, teve o azar de ser escolhida. Teve seu passado amaldiçoado e o destino condenado por Gadreel. Sabe-se apenas que isso nunca acaba bem.

É o século XXI, mas isso não muda muita coisa. Não altera o que já aconteceu, nem mesmo o que pode vir a se passar. A vida segue normalmente, e ninguém sabe de nada. A não ser por eles. E em breve, por ela