CAPÍTULO 4 - Nicole

- Bem-vindas à Instituição Libby Lewis para Meninos e Meninas. - Disse a diretora Price. - É aqui que vocês irão morar e estudar pelos próximos meses. É importante que saibam que não permitimos que os alunos saiam para fazer passeios durante a semana, mas se optarem por ficar aqui no fim de semana terão o sábado e o domingo livre para fazer o que quiserem, é claro, sem abusos. Não permitimos meninos na ala feminina a partir das 21 horas e o toque de recolher é as 21h30min.
Ela mantinha um ar arrogante. Vestia blazer por cima da camisa e salto alto preto. Eu e Sarah a ouvíamos falar enquanto, ao lado de tio John, observavam um armário com troféus no começo do corredor que dava para as salas de aula. A seguiam pelo corredor enquanto ela lhes dava detalhes e mais detalhes sobre o cotidiano da escola.
O corredor era extenso, repleto de salas de aula e projetos extra-classe. Haviam salas especialmente para música, teatro, um estúdio de dança e corredores que conduziam a outros lugares da escola, como a cantina. Tudo nos foi apresentado calmamente pela diretora Price, e depois de pelo menos 40 minutos, seguimos para a área dos dormitórios, que ficava separada da escola por outro longo corredor na parte superior do local.
- O dormitório das meninas fica no andar de cima, e o dos meninos, no de baixo. Não vou exigir que compareçam às aulas hoje, já que precisam colocar as coisas em ordem nos seus dormitórios. Nicole, o seu quarto é o de número 22B, o penúltimo do lado direito. Sarah, o seu é o número 7A, logo aqui ao lado. - Disse ela apontando para uma porta marrom próximo a tio John - Costumamos dividir os quartos por idade, portanto Sarah ficará com outra menina de 13 anos, Nathaly, e você, Nicole, com uma de 16, a Sophie. Aqui está a chave. Cada aluno tem a sua. Cuide bem dela, pois se perder terá que dar um jeito de dividir a chave com sua colega de quarto ou comprar uma nova. Sr. Reynolds, caso queria acompanhar-me até minha sala e deixar que as meninas se organizem...
Dizendo isso, diretora Price e tio John seguiram para a escada no final do corredor. Logo pudemos enxergá-los, através da grande janela, passando pelo corredor que levava até o prédio principal.
Meu quarto era bem no final do corredor. Esperava que todas as garotas do local fossem "patricinhas mimadas", mas ao abrir a porta do quarto fiquei surpresa. A parede da direita era repleta de posters de bandas antigas como Beatles ou Rolling Stones colados ao lado de bandas Indie atuais. O fato de encontrar alguém com bom gosto musical não era o que mais me surpreendia. Era ter encontrado alguém com este gosto ali.
Pelo menos terei alguém com quem conversar a respeito de músicas, pensei. O quarto era composto por duas camas simples, duas cômodas, uma escrivaninha e um armário, sem contar as duas prateleiras. Era um local bem espaçoso. Abri o fecho da mala e comecei a organizar minhas coisas. Coloquei os livros em minha prateleira e as roupas na cômoda. Achei melhor não mexer no armário até que Sophie chegasse.
Ainda estava colocando algumas coisas no lugar quando vi a maçaneta da porta girar. Uma garota ruiva entrara pela porta, vestindo o uniforme da escola e óculos de grau. Possuía olhos castanhos. Era sem dúvida muito bonita.
- Ah, oi! Você deve ser a Nicole, certo? Me avisaram que se mudaria pra cá, hoje. - Ela sorriu ao apertar minha mão.
- Eu mesma. E você deve ser Sophie.
- Em carne e osso. - Ela riu. - Quem mais teria a chave desse quarto?
- Então, você gosta de música?
Ela dirigiu-se para a cama, tirou os sapatos e deitou apoiando a cabeça nas mãos.
- Com certeza. Acho que deu pra notar.
- Também gosto.
- Você é não é daqui. Tem sotaque.
- Ah... Sim, eu vim de Cameron Bay.
- Logo percebi pelo cabelo louro e os olhos azuis. Tem muita gente assim lá, não é? Mas me diga, veio por quê? Especialmente para estudar aqui?
- Não. Meu pai morreu e minha única família mora aqui.
- Oh. Sinto muito. Pela minha indelicadeza... - Sophie voltou a sentar-se e ficou séria de repente.
- Tudo bem. - Disse, tentando parecer o menos emocionada possível. - Ei, posso usar um lado do armário?
- O quê? Claro! Arrumei um lado para você ontem mesmo.
- Obrigada.
- Ah meu Deus, eu amo este livro! - Disse ela apontando para um dos primeiros que se encontrava em minha prateleira.
- Sério? Parece que vamos nos dar bem. - Sorri enquanto puxava a mala para perto do armário.
- Creio que sim, já que a maioria das meninas daqui só liga para o cabelo.
Nós duas rimos. E conversamos mais um pouco, até ela ter que voltar para a aula. Enquanto isso, saí para explorar um pouco mais e buscar algo que pudesse servir de almoço. Descobri que havia uma sala de estar próximo ao quarto 19. Sentei-me em um sofá e acabei me distraindo mexendo no celular, e depois de um tempo ouvi passos vindos do corredor. Não dei muita importância, mas então lembrei de que deveriam estar todos na aula a esse horário.
Então ouvi vozes. Um menino e uma menina. Eles cochichavam e soltavam risadinhas. As vozes se aproximaram e eles entraram na sala onde eu estava. Pareceram surpresos ao me ver ali. Mas nada se comparava ao que eu sentia. O garoto era o mesmo que eu havia visto semanas atrás, no café. Loiro, com olhos castanhos. Mas a menina era diferente. Morena e exageradamente magra, mas ainda assim muito bonita. Acho que ele me reconheceu. Logo que me viu empalideceu, diferentemente dela, que parecia convencida a tornar-se minha amiga.
- Não sabia que tínhamos uma aluna nova. - Ela disse, simpaticamente.
- Ah... Olá.
- Com certeza não é daqui. Qual seu nome?
- Meu nome é Nicole.
- Nome legal, eu acho.
- Hollie, - ele interrompeu – vamos.
- O quê? Por quê? Ela parece legal. - Ela arqueou uma sobrancelha.
- Deixe a garota. Ela não está interessada em novas amizades, não é mesmo? 
- Ah... - Ele não passava de uma carinha bonita.
- Tudo bem. Nos falamos mais tarde. - Ela sorriu. - Vamos, Evan.
- Vamos. - Ele manteve os olhos fixos em mim enquanto ela fazia a volta para sair da sala.
- Ah, esperem!
- O que foi?
- Podem ficar com a sala. Eu já estava de saída.
Então levantei-me e segui para o quarto. Era o melhor a se fazer naquele momento, e eu ainda tinha o resto do dia para aproveitar.
***
Sophie chegou por volta das 16 horas. Jogamos alguns jogos e conversamos sobre música, e as 19 horas, seguimos para a cozinha da ala feminina, que ficava próxima a sala. Quanto mais tempo passava por lá, mais coisas descobria. A diretora Price não havia nos mostrado a sala ou a cozinha, onde poderíamos jantar e fazer refeições distintas, mas as outras garotas também me receberam bem e deram conselhos sobre como não ficar muito perto do fogão enquanto Hollie preparava comida. Ela era definitivamente um perigo, não só em suas atitudes.
Desde a primeira vez em que a vi, notei que não trazia consigo uma energia boa. Na verdade, bem pelo contrário. Era como se tudo ficasse frio toda a vez que eu a encontrava e seu olhar se fixava em mim. Devíamos ter esbarrado pelo menos três vezes em meu primeiro dia na Instituição. O quarto dela ficava na outra extremidade do longo corredor. Dificilmente eu andaria até lá, mas o quarto de Sarah era na frente. Quando fui visitá-la para ver como estava indo seu primeiro dia, encontrei a porta do quarto de Hollie aberto. Ela não estava, nem sua colega de quarto. Era um quarto bem organizado em estilo vintage. A decoração era de muito bom gosto. Consegui enxergar pouca coisa pela pequena fresta, e depois de uns dois minutos bati na porta do quarto de Sarah. Não gostaria que ficassem bisbilhotando as minhas coisas também, portanto não faria isso com outras pessoas a não ser em casos extremos.
Esperei por um tempo, e então bati na porta novamente. Ouvi a chave destravando a fechadura. Uma garota loira de olhos cinzentos um pouco mais alta que minha irmã abriu a porta.
- Hm, olá?
- Oi! Muito prazer, eu sou Nicole, irmã de Sarah. - Sorri e estiquei a mão para cumprimentá-la.
- Ah! Desculpe minha falta de educação. Meu nome é Nathaly. - Ela sorriu de volta. - Por favor, entre. Sarah foi buscar refrigerante, estávamos planejando assistir a um filme esta noite. - Nathaly apontou a uma pilha de dvd's em cima de cama.
- Parece legal. Eu mesma faria isso, mas ainda preciso terminar de organizar minhas coisas para amanhã.
- Poderia nos ajudar a escolher o filme? - Ela apontou um lugar ao seu lado, na cama, e puxou os dvd's para mais perto.
- Claro! - Achei graça de seu pedido. Peguei-os e fui analisando a capa e a sinopse. Já havia assistido a maioria. Parei em um sobre zumbis e adolescentes. Não era um filme baseado em fatos verídicos, mas era legal. E era fofo. Meninas gostam de coisas fofas. - Você já assistiu este aqui?
No mesmo momento, Sarah entrou no quarto carregando duas latadas de refrigerante e um balde de pipoca. Pareceu surpresa ao me ver ali, mas logo adquiriu uma expressão tranquila.
- Ei! O que está fazendo aqui? - Disse ela animadamente ao largar as coisas em cima do balcão. Logo em seguida, secou as mãos e juntou-se a nós.
- Acabo de decidir qual filme veremos. - Falou Nathaly, alcançando o filme para Sarah. - O que acha?
- Uma ótima ideia! Isso foi coisa da minha irmã, não é? Ela adora filmes assim.
- Certo, você me pegou. - Ri. - Vim lhe procurar para saber como estavam as coisas e Nathaly me pediu ajuda para escolher. Acho que você vai gostar.
- Eu ainda não vi. Na verdade, não vi nenhum filme desses aqui. São novos, trouxe para assistirmos durante as horas de folga. Se quiser algum emprestado, é só falar comigo.
- Obrigada! Sarah, sua amiga é muito gentil. - Pisquei para Nathaly, mas logo voltei-me para Sarah. - Então, está tudo bem?
- Sim! Tudo ótimo, já arrumei tudo para amanhã e pretendo me inscrever nas aulas de teatro. Já pensou em alguma coisa?
- Não, ainda não... Mas pretendo fazer tudo esta noite.
- Eles têm ballet. Quer dizer, não ballet clássico. Tem também, mas me refiro a dança em geral. Jazz. Seria uma boa se você tentasse.
Jazz? Como eu não havia visto isso antes? Alguns anos atrás, ainda antes do acidente com nossa mãe, eu dançava. Desde os cinco anos, na verdade. Enquanto todas as minhas colegas faziam ballet, eu dançava jazz. Mas precisei parar por causa de tudo o que aconteceu. Talvez com um pouco de prática, eu pudesse continuar de onde havia parado. Haviam tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo que eu sequer tirara um tempo para ver a lista de atividades que poderia fazer enquanto frequentava a instituição. Eu amava dançar, e ali estava a chance de fazer uma das coisas que eu mais gostava.
- É. Talvez eu tente. - Levantei-me da cama. - Bem, preciso ir agora. Vou deixá-las aproveitarem a noite.
- Pense bem, ok? Sinto saudades de vê-la dançar.
- Eu irei. Obrigada. - Abracei Sarah antes de sair, e então despedi-me de Nathaly. Elas pareciam se dar bem.

A porta do quarto de Hollie se encontrava fechada. Ignorando o fato, segui diretamente para meu quarto. Precisava ter uma conversinha com Sophie.